ENXAQUECA – CEFALEIA – DOR DE CABEÇA

ENXAQUECA

ENXAQUECA fig. 1

Enxaqueca fig. 1

Enxaqueca é uma cefaléia – dor de cabeça – com algumas características específicas. É uma síndrome periódica, constituída por dores na cabeça. Geralmente sentidas apenas de um lado, acompanhadas ou não de náusea e vômito.

A enxaqueca pode ou não ser acompanhada por aura (abaixo explico o que é aura). É um tipo de cefaleia (dor de cabeça) crônica, com dor latejante.

A dor na cabeça pode vir acompanhada de náuseas e, até, vômitos quando a dor for muito forte.

A pessoa que sofre de enxaqueca fica muito sensível à luz e aos sons. Preferindo ficar em locais menos iluminados e mais silenciosos.  O paciente  relata que, tanto a luz, como sons, aumentam sua dor.

A enxaqueca tem a característica de apresentar quatro fases, chamadas: Pródromo, Aura, Cefaleia (dor) e Pósdromo:

Os direitos autorais sobre desta hp são reservados ao Dr. Gilberto Agostinho  – www.enxaqueca.fst.br.


FASE DA ENXAQUECA CHAMADA DE PRÓDROMO

É o período anterior a dor, quando a pessoa, ainda sem dor da enxaqueca, sente algum dos sinais abaixo:

– Fadiga;

– Dores musculares;

– Desejo em comer doces;

– Retenção de líquidos (inchaço).

– Etc.

Os direitos autorais sobre desta hp são reservados ao Dr. Gilberto Agostinho  – www.enxaqueca.fst.br.


FASE DA ENXAQUECA CHAMADA DE AURA

É o período que ocorre após o pródromo e antes da fase de dor da enxaqueca.

Em algumas pessoas pode ocorrer após ter se iniciado a fase da dor.

A fase da enxaqueca chamada de aura, tem a duração de aproximadamente 15 minutos e são sensações visuais tais como:

– Pontos luminosos;

– Linhas bruxuleantes;

– Pontos escurecidos.

Vários pacientes relatam que antes da crise de enxaqueca sentem alteração no seu estado emocional. Sentido depressão ou ansiedade, outros pacientes relatam vontade de comer doces em período anterior a crise de enxaqueca.

As características da enxaqueca são muito variáveis para cada pessoa.

A fase de aura não ocorre com todas as pessoas acometidas de enxaqueca, mas sim com uma pequena parcela apenas.

Os direitos autorais sobre desta hp são reservados ao Dr. Gilberto Agostinho  – www.enxaqueca.fst.br.


FASE DA DOR DA ENXAQUECA

As características da dor da enxaqueca são:

– A dor costuma ser latejante;

– A dor costuma ficar apenas em um lado da cabeça;

– A dor ocorre como se fosse atrás do olho;

– A dor pode piorar com a luz, sons ou, até, aromas.

Esta fase da enxaqueca, a da de dor de cabeça, tem um tempo variável de duração. Pode ser de poucas horas (3 ou 4 horas) como pode demorar alguns dias (uns 3 dias aproximadamente).


FASE DO PÓSDROMO

É a fase final da enxaqueca. É a fase após a dor.

Nesta fase da enxaqueca, a pessoa se sente muito cansada e com alguma dificuldade em se concentrar.

Os direitos autorais sobre desta hp são reservados ao Dr. Gilberto Agostinho  – www.enxaqueca.fst.br.


CAUSAS (ETIOLOGIA) DA ENXAQUECA

Não existe um consenso global quanto a causa exata da enxaqueca.

Sabe-se que a enxaqueca ocorre devido disfunção, episódica, na liberação de substancias químicas inibitórias da sensação de dor, como a beta-endorfina e a serotonina. Estas substâncias inibitórias da dor existem para que não sintamos dores desnecessárias. Se nosso corpo não produzisse esta substâncias sentiríamos dor até no roçar da roupa no nosso corpo, como exemplo.

No indivíduo com enxaqueca há uma diminuição destas substâncias. Então sentirá dor de cabeça intensa, mesmo com as funções normais (fisiológicas) do seu organismo.

Por exemplo: a pulsação normal e natural nas artérias da cabeça, que é transmitida pelos nervos trigêmeos e occipitais para regiões cerebrais. Será reconhecida como dor durante as crises de enxaqueca. Devido não ter ocorrido a devida inibição dessa sensação pelas substâncias inibitórias.

Porém o motivo exato destas alterações bioquímicas, causando a crise de enxaqueca, ainda não foi totalmente definido pela ciência.

Mas são conhecidas várias causas que podem desencadear enxaqueca.


SITUAÇÕES QUE PODEM LEVAR À ENXAQUECA

Uma ou mais das situações abaixo podem levar à enxaqueca:

–  tensão muscular na região cervical (nuca);

– alguma alteração na coluna cervical (explico em detalhes este item, logo abaixo);

– alguns casos de intolerância ao consumo de leite e seus derivados;

– fatores hormonais, como ocorre na menstruação, por exemplo;

– mudanças climáticas;

– pressão arterial muito alta;

– logo após relação sexual. Devido a alterações hemodinâmicas (circulação do sangue) que acompanham as manobras de Valsalva que ocorrem no orgasmo. A dor da enxaqueca surge devido o aumento da pressão suboccipital do seio cavernoso. Podendo afetar a circulação posterior para o cérebro.

Os direitos autorais sobre desta hp são reservados ao Dr. Gilberto Agostinho  – www.enxaqueca.fst.br.


ENXAQUECA DE ORIGEM NA COLUNA CERVICAL

Um dos tipos de enxaqueca que atendo rotineiramente no meu consultório é a de origem na coluna (região cervical).

ENXAQUECA - cervical

Enxaqueca Cervical

ENXAQUECA fig. 2

Enxaqueca fig. 2

A porção superior da nossa coluna, chamada de cervical, é muito delicada. Tanto do ponto de vista da quantidade de nervos que se irradiam, como de vasos sanguíneos. O quais alimentam o cérebro (o sangue é o transporte do alimento).

 

Observe nas figuras 1 e 2, como os espaços entre vértebras são diminutos. A quantidade de nervos e vasos presentes nesta região é enorme.

Os direitos autorais sobre desta hp enxaqueca são reservados ao Dr. Gilberto Agostinho www.enxaqueca.fst.br.

ENXAQUECA fig. 3

Enxaqueca fig. 3

Qualquer alteração, compressão ou irritação em raízes nervosas, mesmo que de pequeno porte, acabam causando dor. Que tanto pode ser apenas na região cervical (nuca) como ser dor na cabeça, cefaleia ou enxaqueca.

Qualquer anomalia ou desalinhamento que venha a comprimir algum nervo. Obstruindo, mesmo que ligeiramente, a passagem do sangue nesta região delicada (cervical), pode acarretar em cefaleia ou enxaqueca.

Os direitos autorais sobre desta hp enxaqueca são reservados ao Dr. Gilberto Agostinho www.enxaqueca.fst.br.

Mesmo uma leve espondilolistese (escorregamento latero-lateral) de alguma vértebra cervical pode resultar em cefaleia ou enxaqueca, por muitos anos. Enquanto esta alteração vertebral não for corrigida, o paciente continua com as crises de enxaqueca ou cefaleia.

 


O FLUXO SANGUÍNEO ENCEFÁLICO E ENXAQUECA: HEMODINÂMICA ENCEFÁLICA

O fluxo sangüíneo cerebral permanece relativamente constante em todas as atividades da vida diária e no sono.

Ele é determinado pela pressão de perfusão cerebral. Que é a diferença entre a pressão arterial sistêmica e pressão venosa do seio sagital superior.


ENXAQUECA DEVIDO A RELAÇÃO SEXUAL

A dor pode aparecer após (ou durante) o coito (relação sexual), pode afetar mulheres, porém é mais comum em homens.

Este tipo de enxaqueca ocorre devido a alterações hemodinâmicas (circulação do sangue).  Que acompanham as manobras de Valsalva que ocorrem nas relações sexuais. Principalmente, no orgasmo.

Manobra de Valsalva, geralmente, ocorre em exercícios isométricos com a glote fechada (não deixando o pulmão expelir o ar). Acarretando aumento da pressão intra abdominal devido a contração do músculo diafragma e dos músculos abdominais. Isto resulta em diminuição do retorno do sangue venoso que volta para o coração (devido a contração do músculo diafragma). Além disso, aumentará a pressão suboccipital do seio cavernoso. Podendo afetar a circulação posterior para o cérebro.

Os direitos autorais sobre desta hp são reservados ao Dr. Gilberto Agostinho  – www.enxaqueca.fst.br.


SÍNDROMES CRANIOCERVICAL E ENXAQUECA

A Síndrome Cervical escrita por Ruth Jackson foi publicada em 1956. Descrevendo vários sintomas associados com as lesões ou malformações congênitas craniocervical. Que afetam o cérebro, desta forma, causando cefaleias ou enxaqueca. Afetando negativamente a hemodinâmica cerebral em duas formas:

1) Por congestão no plexo venoso vertebral, causando redução na pressão de perfusão cerebral

2) Pela congestão venosa e hipertensão arterial no seio cavernoso suboccipital. Causando compressão das artérias vertebrais e diminuindo assim o posterior suprimento sanguíneo para o cérebro. Em muitos casos, a causa da isquemia da medula espinhal é desconhecida.

Embora estudos recentes sugerem que alguma dificuldade na drenagem venosa pode resultar em isquemia da medula espinhal.

Apesar desta circulação ter sistema redundante (a natureza nos forneceu este sistema de segurança). O sistema de drenagem venosa da medula espinhal, é um sistema suscetível a ligeira compressão. E até mesmo uma ligeira elevação da pressão.

Além disso, foi demonstrado que curvatura anormal da coluna pode causar estenose funcional. E aumentar a pressão no plexo venoso vertebral, desta forma, levando a enxaqueca ou cefaleia.

A síndrome Craniocervical, portanto, pode desempenhar um papel significativo na enxaqueca, dores de cabeça (cefaleia). Assim como muitas outras doenças degenerativas do cérebro.

Os direitos autorais sobre desta hp são reservados ao Dr. Gilberto Agostinho  – www.enxaqueca.fst.br.

As informações  que escrevo nesta página. São apenas de caráter educativo e não para influenciar ninguém a se auto medicar.

Sempre procure seu médico ao menor sinal de enxaqueca.

Leia também:

TRATAMENTO DA ENXAQUECA

DICAS SOBRE ENXAQUECA

COMPROVAÇÃO CIENTÍFICA NO TRATAMENTO DA ENXAQUECA